quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Queixas Intimas

Perfeita em seu compasso,
Desfaço-me nesta valsa longínqua
Nesta louca procedência ritmada,
Violinos neste céu de marfim.

Perfeita no seu valsar prosaico,
Risos diante um bolero clandestino!
Meu cassino poético esta prestes a fechar,
Multado pela universal complexidade da vida.

És suprema! A dor que inflama o cérebro,
És amante! A sedução do teu bailar...

Sonho de sensibilidades solitárias,
Carinho juvenil; jura tão febril,
E uma orquestra epilética! Tão fervida,
Numa exibição latente e exorbitante!

Sonho de suplicas em dó sustenido,
E assim em convulsão, a alma arde;
Nas chamas radioativas do emocional,
Segue a dança dos encéfalos acessos!

És suprema! A dor que inflama o cérebro,
És amante! A sedução do teu bailar...


Natália Tamara   


video
                       (" Quem nunca teve uma paixão proibida na vida sofrida...")

Um comentário:

  1. Muito lindo esse poema Natalia, meus parabéns, casou perfeitamente com a letra da música, ótima escolha também!
    Muito Lindo.

    ResponderExcluir